Você, assim como eu, também é fanático por futebol? Sabe todos os jogadores campeões do mundo pela Seleção brasileira? Assiste com o mesmo afinco a série C do campeonato marroquino e a série A do Espanhol? E se mesclarmos o futebol e a tecnologia?

A Copa do Mundo 2018 já começou e com ela vieram algumas novidades para ajudar os árbitros, até porque a vida desses caras não é nada fácil, e também não prejudicar as equipes em lances capitais do jogo (ou será que você não se lembra de um tal gol de mão de Maradona ou mesmo o gol mal anulado da Inglaterra contra a Alemanha em 2010?).

Uma delas é o tão comentado VAR (Video Assistant Referees), sistema que conta com 33 câmeras espalhadas pelo estádio. As imagens são analisadas por árbitros de vídeo, mas quem toma a decisão final é o árbitro que está no campo, que também pode rever a jogada numa tela, caso haja necessidade.

O futebol e a tecnologia

Valdemir Gomes Pessôa, aposentado, vem acompanhando a maior parte dos jogos da Copa do Mundo 2018 e comenta: “Achei muito válido! Só que é usado apenas para lance de gol, enquanto para falta não. Para mim, não foi falta para a Colômbia contra o Japão, na jogada em que saiu o gol. Mas acho válido sim, com essas ressalvas”.

Além disso, há o relógio inteligente Big Bang Referee que conta com diversas funcionalidades em seu interior como GPS, acelerômetro, microfone e etc., é por meio dele que os árbitros em campo se comunicam com os árbitros de vídeo. Quer mais? Eles também são avisados quando a bola ultrapassa a linha do gol!

O futebol e a tecnologia

Outro dos espectadores da Copa, o instrutor de treinamento Caio César Martins fala especificamente sobre o Big Bang Referee. “A utilização do relógio, no caso de a bola ter entrado ou não no gol, é uma segurança maior para o juiz”, e dá uma alternativa quando houver uma falta não marcada: “poderia ter um pedido para cada time, por exemplo, no lance do gol da Suíça contra o Brasil havia sido falta, então o Brasil teria um pedido de verificação em vídeo. Isso dependeria da equipe e não do juiz. Fora isso, a tecnologia só veio acrescentar ao futebol”.

Por último e não menos importante está o Goal Line Technology. É isso mesmo que você pensou: são câmeras direcionadas para as balizas (14 ao todo) que determinam se a bola entrou no gol ou não. Caso tenha entrado, notifica imediatamente o relógio que está no pulso do árbitro. Fantástico hein!

O futebol e a tecnologia

E você, o que acha desta mescla entre o futebol e a tecnologia? Comente conosco!