Nos últimos cinco anos, o Laboratório Nacional Lawrence Livermore tem trabalhado noite e dia para preservar imagens dos testes nucleares conduzidos pelos Estados Unidos entre 1945 e 1962. O trabalho, desenvolvido pelo físico nuclear Dr. Greg Spriggs, consiste no escaneamento e análise de todos os filmes para depois disponibilizá-los no YouTube para o público geral.

Só na semana passada o físico lançou o maior lote de filmes analisados, com cerca de 250 vídeos de oito séries diferentes de testes que cobrem um período de quase 10 anos.  A primeira das quais foi a Operação Upshot-Knothole em 1953 e a última foi a Operação Dominic, que ocorreu no final de 1962.

A operação Dominic aconteceu durante um dos períodos mais tensos da Guerra Fria, após a invasão da Baía Cubana dos Porcos. Foi o maior programa de testes nucleares realizado pelos Estados Unidos e o último de seus testes atmosféricos, apenas alguns meses antes dos EUA e a União Soviética assinarem o Tratado de Proibição Limitada de Testes em 1963.

Esta não foi a primeira vez que uma proibição de testes foi abordada, no entanto. Em 1958 representantes dos EUA, do Reino Unido, da União Soviética, do Canadá e da França, entre outros, concordaram com a proibição de testes; todos os países estavam dispostos a suspender os testes ano a ano e isso duraria enquanto ninguém retomasse a conduzi-los. Antes disso, porém, a maioria dos testes continuou sob vários disfarces. Nos EUA eles conseguiram realizar mais de 70 testes com a Operação Hardtack 1 e a Operação Hardtack 2. A filmagem de vários testes dessas operações está disponível para visualização no canal do laboratório do Dr. Greg Spriggs.

Em 1961 o teste foi oficialmente retomado pela URSS, incluindo o Tsar Bomba, dispositivo nuclear mais poderoso já desenhado. Duas semanas depois os EUA seguiram com outra operação apresentada neste lançamento de filmagem: a Operação Nougat, que decorreu entre 1961 e 1962.

Os EUA realizaram outra série de testes para dispositivos menores no mesmo ano. Isso ficou conhecido como Operação Sunbeam. A série de testes incluiu uma bomba atômica “portátil”, Davy Crocket, um dos menores dispositivos nucleares já criados.

Entre as novas filmagens, a equipe incluiu novos vídeos da Operação Castle que contou com o dispositivo mais poderoso já criado pelos Estados Unidos, bem como o Operations Bule de 1955, e Plumbbob – uma das mais longas e controversas séries de testes nucleares dos EUA – a partir de 1957.

Para os arquivos históricos restaurar e manter cópias destes arquivos é de suma importância. Segundo Spriggs, estas filmagens estão se deteriorando rapidamente, então este trabalho é muito importante. Ele mantém um registro de um período histórico crucial na história recente e as imagens contêm informações científicas valiosas sobre as explosões. É também um lembrete gritante do quão poderoso e destrutivo essas armas realmente são.

E você, o que acha do acervo criado e de sua importância para a preservação da história da humanidade?