O Opera, navegador da web desenvolvido pela companhia Opera Software, está testando uma carteira criptografada embutida em um beta privado de seu navegador no Android, conforme anuncio feito pela empresa hoje.

A carteira irá usar o etherum, com suporte para outras moedas surgindo depois. Investidores Ether que usam o Opera poderão potencialmente conseguir acesso mais fácil a seus tokens, caso a ferramenta fique online.

Não sabe o que é o Ethereum? De acordo com o Infomoney: O Ethereum é uma plataforma descentralizada focada na execução dos chamados “contratos inteligentes”: operações que são feitas automaticamente quando certas condições são cumpridas. No protocolo Ethereum e no seu blockchain, há um preço para cada operação. Qualquer transação, código executado, registro feito, contrato digital assinado ou quaisquer outras aplicações que sejam feitas dentro da rede Ethereum, são pagas com Ether.

Seu sistema se assemelha bastante ao do Bitcoin, com o blockchain, que registra todas as operações feitas de forma segura em uma espécie de “planilha pública” e que não pode ser alterada. Para se criar novas moedas também é usado o processo de mineração, onde os próprios usuários verificam e validam as operações.

A ação vem meses após o alvoroço a respeito de cripto moedas já ter morrido e pode ser enxergada como outra tentativa de atrair clientes que apostem neste tipo de ferramenta. O Opera já havia indicado conhecimento a respeito das chamadas cripto moeda, assim como a crescente de golpes, com a inclusão de programas anti-cryptojacking em seus navegadores.

Sobre o Opera: Inicialmente Telenor, a maior companhia de telecomunicação da Noruega, Opera Software foi lançado ao publico já em sua versão 2.0 em 1996. Operando inicialmente apenas no Microsoft Windows, a expansão para aparelhos móveis começou em 1998. Sua versão 4.0 foi lançada em 2000, teve sua entrada para múltiplos sistemas operacionais e plataformas facilitado.

Preparado para tirar as moedas digitais do cofrinho virtual?