CEO da SpaceX, da Tesla e de outras grandes empresas de tecnologia, Elon Musk também é um ávido leitor. De acordo com o “Tony Stark” do mundo real, a leitura de livros variados, indo da fantasia para a ciência da construção de foguetes, é o essencial para quem quer atingir o sucesso.

A lista abaixo foi criada com base em entrevistas dadas por Musk e que o bilionário acredita que todos deveriam ler.

1 – O Senhor dos Anéis, por J.R.R. Tolkien

Devido a sua infância solitária o jornal The New Yorker reportou que Musk “leu muita fantasia e ficção científica”. “O Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien moldou a visão de Musk quanto ao seu eu do futuro.”

“Os heróis dos livros que eu li… sempre tiveram o dever de salvar o mundo”

2 – A Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams

Claro que o homem dono de uma empresa espacial teria como seu livro de ficção favorito o Guia do Mochileiro das Galáxias.

Musk leu O Guia dos Mochileiros ainda adolescente na África do Sul, e ele gostava tanto dos livros que lançou seu Tesla Roadster no espaço no mês de fevereiro e com as palavras “Don’t Panic!” na lateral.

Sobre sua espaçonave favorita, ele confessou: “Eu tenho que dizer que seria aquele em ‘O Guia do Mochileiro das Galáxias’ que é movido pela pulsão de improbabilidade”.

3 – “Benjamin Franklin: uma vida americana” por Walter Isaacson

Musk já confessou algumas vezes que Benjamin Franklin, parte dos pais fundadores dos Estados Unidos, é um de seus heróis.

Na de Franklin, “você pode ver como ele era um empreendedor”, disse Musk em entrevista à Foundation, uma plataforma para organizações sem fins lucrativos que trabalham com questões de mudança climática. “Ele era um empreendedor. Ele começou do nada. Ele era apenas um garoto fugitivo.”

“Franklin é muito legal”, finalizou Elon Musk.

4 – “Estruturas: ou porque as coisas não caem” por J.E. Gordon

Uma abordagem popular sobre engenharia estrutural de J.E. Gordon  “Estruturas: ou por que as coisas não caem” foi um livro que ajudou muito a Musk em sua transição do cenário da codificação para os fundamentos da ciência dos foguetes.

“É realmente muito bom se você quer uma cartilha sobre projeto estrutural”, disse Musk em entrevista à KCRW.

5 – “Ignição: uma história informal de propelentes de foguetes líquidos” por John D. Clark

Segundo Musk, “Ignition” foi fundamental para seu processo de domínio e aprendizado de assuntos complicados, como por exemplo, lidar com foguetes.

John D. Clark era um químico americano que era ativo no desenvolvimento de combustíveis de foguete nos anos 1960 e 70. O livro é um relato do crescimento do campo e uma explicação de como a ciência funciona.

E Musk seguiu bem o livro durante seu trabalho no sistema de foguetes Falcon Heavy, da SpaceX.

6 – “Superinteligência: caminhos, perigos, estratégias” por Nick Bostrom

Musk sempre foi bem ativo em suas advertências a respeito dos perigos de uma inteligência artificial não controlada.

Em um tweet de 2014, ele disse que “precisamos ser super cuidadosos com a inteligência artificial”, que é “potencialmente mais perigosa que as armas nucleares”.

Em um documentário sobre inteligência artificial chamado “Você confia neste computador?” Musk disse que a IA poderia ser usada para criar um “ditador imortal do qual nunca poderíamos escapar”.

“Estamos nos dirigindo rapidamente para a superinteligência digital que excede qualquer humano. Acho que é muito óbvio”.

Musk diz que vale a pena ler “Superinteligência”, de Nick Bostrom, que faz o questionamento sobre o que aconteceria se a inteligência artificial ultrapassasse a inteligência humana.

7 – “Nossa invenção final” por James Barrat

Outro livro que Musk referenciou enquanto falava sobre os perigos da inteligência artificial, no seu Twitter, foi “Nossa invenção final”, que também dá mais avisos sobre os perigos da IA.

Barrat analisa detalhadamente o futuro potencial da IA, pesando as vantagens e desvantagens, em um livro que é “sobre a catastrófica desvantagem da AI, algo sobre o qual você nunca vai ouvir falar do Google, da Apple, da IBM e da DARPA”.

Musk não discorda.

“A inteligência artificial não tem que ser má para destruir a humanidade – se a IA tem um objetivo e a humanidade simplesmente acontece no caminho, ela destruirá a humanidade como um todo sem sequer pensar nisso, sem ressentimentos”.

8 – A trilogia “Fundação” de Isaac Asimov

Achou que Musk tinha parado na inteligência artificial? Ele também teve interesse em livros de ficção científica, além da fantasia de O Senhor dos Anéis.

Os livros são centralizados na queda do império galáctico fictício, que consiste em milhões de planetas colonizados por humanos na galáxia da Via Láctea.

Em uma entrevista de 2013 com o The Guardian, Elon Musk disse:

“As lições da história sugerem que as civilizações se movem em ciclos. Você pode rastrear isso muito longe – os babilônios, os sumérios, seguidos pelos egípcios, pelos romanos, pela China.

“Estamos obviamente em um ciclo muito ascendente agora, e esperamos que continue assim. Mas talvez não. Pode haver uma série de eventos que façam com que o nível de tecnologia caia.

“Dado que esta é a primeira vez em 4,5 bilhões de anos onde tem sido possível para a humanidade estender a vida para além da Terra, parece que seria sensato agir enquanto a janela estava aberta e não contar com o fato de que será aberta uma muito tempo.”

9 – “A lua é uma senhora dura” por Robert Heinlein

Em uma entrevista em um simpósio do MIT em 2014, Elon Musk disse que o livro foi o melhor trabalho de Heinlein. Publicado em 1966, o livro apresenta uma distopia não muito distante no futuro. É exatamente o tipo de mundo de fantasia que satisfaria uma imaginação ativa como a de Musk.

Nesta ficção científica distópica várias pessoas foram exiladas da Terra para a Lua, onde criaram uma sociedade libertária. Até que em 2076 um grupo de rebeldes – incluindo um supercomputador chamado Mike e um técnico de computação de um braço – lidera a revolução da colônia lunar contra seus governantes ligados à Terra.

10 – “Vida 3.0: Ser Humano na Era da Inteligência Artificial” por Max Tegmark

Já deu para perceber que Musk realmente gosta de se envolver com o futuro através de ficção cientifica e, principalmente, ao redor de inteligência artificial.

Em “Life 3.0”, o professor do MIT, Max Tegmark, escreve sobre como manter a inteligência artificial benéfica para a vida humana e garantir que o progresso tecnológico permaneça alinhado com os objetivos da humanidade para o futuro.

Mas ao contrário de seus avisos apocalípticos sobre a IA, a obra de Tegmark é uma das poucas que Elon Musk recomenda e que lida com a inteligência artificial como uma força para o bem.

E aí, já separou o dinheiro para visitar a livraria enquanto desinstala a Cortana do computador?