O Facebook continua seu processo de desenvolvimento de hardware capaz de enviar internet de alta velocidade, mas agora seu foco está no espaço. De acordo com documentos obtidos pela Wired através de pedidos da Lei de Liberdade de Informação, a rede social está trabalhando em um satélite de Internet que “forneceria de forma eficiente acesso de banda larga a áreas atendidas e não atendidas em todo o mundo”, segundo um pedido protocolado na FCC. PointView Tech LLC. O Facebook confirmou que, de fato, é a empresa por trás do estudo e que o nome de trabalho do satélite é Athena.

Esta também não é a primeira vez que o Facebook começou o desenvolvimento de um projeto similar. A notícia vem apenas algumas semanas depois que o Facebook anunciou o encerramento de seus esforços de drone da internet, o projeto Aquila. A empresa informou que não desenvolverá mais seus próprios drones autônomos de alta altitude, que foram parcialmente alimentados por energia solar e projetados para voar por longos períodos de tempo, enviando internet para partes remotas da Terra e países em desenvolvimento.

Aquila, contudo, não será descartada e deverá concentrar seus esforços no desenvolvimento dos sistemas de software a bordo que guiam as aeronaves da Internet. A empresa-mãe do Google Alphabet fez o mesmo em janeiro do ano passado, encerrando seu projeto de drone movido a energia solar em favor de seu projeto de balão Wi-Fi e investimentos estratégicos em empresas de internet via satélite de terceiros.

De acordo com um relatório de setembro de 2017 sobre desenvolvimento de banda larga, mais da metade da Terra ainda não está online, e que a única maneira de fazer isso seria usar satélites de órbita baixa que ficam no espaço a cerca de 100 a 1.250 milhas acima da superfície. Já existe uma indústria em expansão em torno da Internet via satélite, com os principais participantes, como a SpaceX, investindo pesadamente no espaço para se tornarem os novos provedores de serviços de Internet de um mercado inexplorado. A SpaceX lançou seus primeiros satélites em fevereiro.

Um porta-voz do Facebook disse em um comunicado:

“Embora não tenhamos nada a compartilhar sobre projetos específicos neste momento, acreditamos que a tecnologia de satélite será um importante facilitador da próxima geração de infraestrutura de banda larga, possibilitando a conectividade de banda larga a regiões rurais onde a conectividade à Internet é inexistente ou inexistente. ”

Para o Facebook, ser o provedor de Internet para mercados totalmente novos em todo o mundo levanta a possibilidade de que esses novos usuários de internet se tornem membros de sua rede social, o que por sua vez expande seu alcance global e solidifica ainda mais seu império de publicidade on-line.

Parece que a dominação mundial do Facebook está cada vez mais próxima de acontecer. Realmente espero que o Mark zuckerberg não seja um robô.