Parece que o embate entre as gigantes da tecnologia está bem longe de terminar. Desta vez, e fazendo frente a Microsoft e Amazon, a Google começou sua expansão de infraestrutura. De acordo com um anúncio feito pela empresa responsável pelo maior mecanismo de busca do mundo, ela está construindo um cabo submarino entre os Estados Unidos e a França. Chamado Dunant, em homenagem ao fundador do Nobel da Paz, Henry Dunant, este processo de crescimento visa uma considerável melhora para a gigante.

O Google espera que a Dunant seja funcional em 2020.

“Dunant adiciona capacidade de rede em todo o Atlântico, complementando uma das rotas mais movimentadas da Internet e apoiando o crescimento do Google Cloud”, segundo Jayne Stowell, negociador estratégico de infraestrutura global do Google.

O post no blog da Google Continua:

“Todas essas opções vêm com diferentes prós e contras, e usamos uma combinação dos três métodos para melhor atender nossos clientes. Ao abordar um novo projeto de cabo e decidir sobre qual dos três métodos usar, consideramos nossas necessidades e as necessidades de nossos clientes em algumas áreas:

  • Desempenho e latência: os cabos costumam ser construídos para atender a uma rota muito específica. Quando construímos de forma privada, podemos escolher essa rota com base no que fornecerá a menor latência para o maior segmento de clientes. Nesse caso, queríamos conectividade através do Atlântico que estivesse perto de certos data centers, mas as razões também poderiam incluir a capacidade de aterrissar em certos países ou conectar dois lugares que antes eram carentes, como foi o caso de Curie.
  • Capacidade: a largura de banda que queremos fornecer pode variar muito, dependendo do que já existe e de onde nossos clientes precisam mais, agora e no futuro. Nosso planejamento de capacidade inclui estimativas das necessidades do Google e de nossos clientes nos próximos anos.
  • Largura de banda garantida durante a vida útil do cabo: a vida útil de um cabo pode variar de 15 a 25 anos, mas, como ocorre com muitos projetos de infraestrutura, às vezes eles continuam a atender a rota além da expectativa de vida inicial. Nossa capacidade de garantir a nossos clientes um certo nível de conectividade os ajuda a planejar com confiança seus negócios daqui para frente.

Esta não é a primeira vez que a Google desenvolve um projeto similar. Em 2016 ela se juntou ao Facebook para criar um projeto de cabo entre Los Angeles e Hong Kong. Contudo, a construção deste cabeamento foi mantido por um consórcio de empresas. Desta vez o cabo pertence apenas a Google e será o primeiro cabo transatlântico a pertencer exclusivamente a uma empresa fora do ramo de telecomunicações.

Com esse avanço a empresa se firma acima da competição, que depende de terceiros para sua transmissão de dados pelo Oceano Atlântico, como o Microsoft Azure e o Amazon Web Services. Vale lembrar que Dunant é o primeiro cabo particular, a empresa de pesquisas já mantém outro conectando Chile e Los Angeles, chamado de Curie.