Quem nunca recebeu uma Fake News pelo WhatsApp, que atire a primeira pedra. Fake News ou Notícias Falsas, em sua tradução literal, é bem autoexplicativa e fala sobre informações falsas espalhadas como notícias de veículos sérios sobre determinado assunto, no Brasil com certo apelo para o lado político. Empresas como Facebook estão fazendo de sua principal missão limitar e/ou barrar totalmente a divulgação de notícias falsas e este parece que está sendo o motivador para uma limitação do WhatsApp.

A companhia de mensagens instantâneas está estudando a possibilidade de reduzir a quantidade de vezes que você pode encaminhar mensagens para vários bate-papos, citando preocupações com a privacidade como a justificativa. Inicialmente testes serão feitos para limitar o encaminhamento de mensagens, conforme anunciado pelo aplicativo do Facebook.

Além das razões listadas pelo WhatsApp, há preocupações de segurança envolvidas na disseminação de informações incorretas na plataforma. O teste surgiu após uma série de violentos linchamentos na Índia terem instigados por falsas mensagens sobre sequestros de crianças que foram enviadas através do WhatsApp. Na semana passada, a polícia prendeu mais de 48 pessoas supostamente parte de uma turba que matou um trabalhador de tecnologia no sul da Índia depois que o grupo suspeitou que ele era um sequestrador de crianças, devido a mensagens falsas divulgadas no WhatsApp.

Não existe um padrão especifico, já que o teste poderá aparecer para qualquer usuário do mensageiro instantâneo. Em seu comunicado de imprensa o WhatsApp coloca seu maior mercado, a Índia, serão limitados a 5 chats de cada vez.  Globalmente, o limite será de 20 chats, de acordo com o Indian Express. “Acreditamos que essas mudanças – que continuaremos a avaliar – ajudarão a manter o WhatsApp da maneira que foi projetado: um aplicativo de mensagens privadas”, disse o WhatsApp.

Preocupações com notícias falsas estão cada vez mais em voga, especialmente após o grande fator de atenção levantado durante as últimas eleições para presidente dos Estados Unidos. Aqui no Brasil ainda é comum e até esperado que Fake News viralizem rapidamente, não apenas através de aplicativos de mensagem, mas também de redes sociais.